Brain4child - Degustação do Método Glia!

Neuroblog

Degustação do Método Glia!

Técnicas de base cognitivo comportamental utilizadas na reabilitação da função executiva ORGANIZAR:

  1. APRESENTAÇÃO: O terapeuta apresenta a lâmina de organizar à criança com a legenda coberta. Em seguida, pede para que a criança reflita sobre a situação ali representada. Após uma breve pausa, o terapeuta deve estimular a criança a revelar quais pensamentos e/ou sentimentos passam pela sua mente diante daquela representação. A seguir, o terapeuta revela a legenda e colabora com colocações que facilitem a definição de organizar. Agora pode ser hora de internet! O terapeuta pode clicar no nosso amigo Google a palavra organizar e solicitar apenas imagens…
  2. IDENTIFICAÇÃO: O terapeuta inicia a sessão perguntando à criança sobre o intervalo entre a sessão anterior e aquela, se lembrou da função organizar e se outros pensamentos ou sentimentos lhe ocorreram naquele intervalo de tempo. É recordada a definição de organizar (fisicamente, no tempo e no pensamento) para em seguida exercitar a identificação dessa função na vida das crianças, de um adolescente, de um adulto, nas diferentes profissões e outras condições (efeito de generalização). O terapeuta colabora dando exemplos de como aquela função entra em ação no seu dia a dia. A tarefa de casa proposta à criança é a de identificar a função organizar no seu dia a dia de forma prospectiva...
  3. MODELAGEM/VALIDAÇÃO: Nessa sessão (ou sessões) a proposta é que os pais, o terapeuta e a criança apresentem suas habilidades ou dificuldades de organização (física, tempo e pensamento) no seu dia a dia, os pensamentos e sentimentos associados, bem como as consequências positivas e negativas. O terapeuta deve sempre estimular as partes para um comportamento de validação e assertividade. O objetivo é que as partes saiam dessa sessão (ou sessões) com um modelo em mente bem definido de boa aplicação do organizar no seu dia a dia. A próxima tarefa de casa é que a criança ou adolescente desenvolva uma situação cotidiana em que use a função organizar para que na sessão seguinte pratique um ensaio comportamental com o terapeuta...
  4. ENSAIO COMPORTAMENTAL: É hora de organizar! Se a opção foi a de organizar o setting terapêutico, tenho certeza que você, terapeuta, caprichou na bagunça e na surpresa que ela causará à criança e adolescente. O único risco que correrá será de a criança o adolescente começar a desconfiar da sanidade mental do seu terapeuta! Mas enfim, o que não fazemos pelos nossos pequenos! Por outro lado, por certo, os vínculos entre você e ela ou ele estarão sessão a sessão se fortalecendo cada vez mais...
  5. EXPERIÊNCIA COMPORTAMENTAL, AVALIAÇÃO e RECOMPENSA: O terapeuta deve aplicar a mesma sequência PEAS: planejar (P), experimentar (E), analisar (A) e sintetizar (S). No planejamento da experiência (exposição) o terapeuta deve contemplar uma atividade cotidiana em que a criança ou adolescente apresente dificuldades em organizar, seja por informações fornecidas por ela ou pelos seus pais ao longo do processo terapêutico. Como sugestões de experiência comportamental temos: a criança organizar seu quarto, organizar seu tempo num dia ou semana particularmente intensos de atividades, arrumar aquele cômodo da casa onde todos entulham coisas que muito provavelmente não irão usar nunca, a despensa ou até mesmo a agenda dos pais... Acesse www.brain4child.com.br e adquira o Método Glia!

Temos 17 visitantes e Nenhum membro online