Brain4child - Reforçar e praticar as habilidades de funções executivas com crianças desde a infância até a adolescência

Neuroblog

Reforçar e praticar as habilidades de funções executivas com crianças desde a infância até a adolescência

Índice de Artigos

Introdução

As habilidades de função executiva e de autorregulação providenciam suporte crítico para aprendizado e desenvolvimento. Como um sistema de controle de trafego aéreo em um aeroporto movimentado gerencia as chegadas e partidas de muitos aviões em várias pistas, as habilidades de funções executivas nos permitem manter e trabalhar com informações em nosso cérebro, concentrar nossa atenção, filtrar distrações, e trocar as marchas mentais. Existem três dimensões básicas destas habilidades:

A memória de trabalho (ou memória operacional)

A capacidade de reter informações na mente e usá-las.

Controle inibitório

A capacidade de dominar pensamentos e impulsos, de modo a resistir às tentações, distrações, e hábitos, e fazer uma pausa e pensar antes de agir.

Flexibilidade cognitiva

A capacidade de alternar engrenagens e ajustar às novas necessidades, prioridades, ou perspectivas.

Essas habilidades nos ajudam a lembrar de informações que precisamos para completar uma tarefa, evitar distrações, resistir a impulsos indesejáveis ou não produtivos, e manter a atenção durante uma atividade particular. Nós as usamos para definir metas e planejar formas de atendê-las, avaliar o nosso progresso ao longo do caminho e ajustar os planos, se necessário, enquanto controlamos frustrações.

Apesar de nascermos sem essas habilidades de função executiva, nascemos com o potencial inato para desenvolvê-las. O processo é lento que começa na infância, continua na idade adulta precoce, e é moldado por nossas experiências. As crianças constroem suas habilidades por meio de engajamentos no sentido social, interações e atividades agradáveis que moldam as competências de autorregulação em níveis cada vez mais exigentes.

Na infância, as interações com os adultos ajudam os bebês a focar a atenção, construir a memória de trabalho e gerenciar reações a experiências estimulantes. Através de brincadeiras criativas, jogos e trabalhos escolares, as crianças praticam como integrar a sua atenção, memória e auto-controle trabalhando para formar planejamentos, resolução de problemas flexíveis, e um engajamento sustentável. No ensino médio, espera-se dos alunos  uma capacidade para organizar o seu tempo (em grande parte) de forma independente, manter o controle de suas atribuições, e gerenciar projetos para a conclusão.

Enquanto as crianças a desenvolvem estas capacidades, elas precisam praticar refletindo sobre as suas experiências, falar sobre o que eles estão fazendo e por que, monitorando suas ações, considerando os possíveis próximos passos, e avaliando a eficácia de suas decisões. Adultos desempenham um papel fundamental no apoio, ou como um "andaime", para o desenvolvimento dessas habilidades, primeiro por ajudar as crianças a completar tarefas desafiadoras, e, em seguida, gradualmente recuando para deixar as crianças gerir o processo de forma independente e aprender com seus erros, como eles estão prontos e aptos a fazê-lo.

As atividades que se seguem foram identificadas como formas apropriadas à idade para fortalecer vários componentes da função executiva . Embora os estudos científicos ainda não tenham provado a eficácia de todas essas sugestões, a sua presença aqui refletem o julgamento de especialistas na área sobre as atividades que permitem que as crianças a pratiquem suas habilidades de funções executivas. Prática leva ao aprimoramento. Estas atividades não são as únicas que podem ajudar; ao contrário, elas representam uma amostra das muitas coisas que as crianças gostam e que podem apoiar o desenvolvimento saudável.

Finalmente, observe que, quando sites e produtos são referenciados nestas sugestões de atividades, é porque eles são recursos úteis ou exemplos. A sua inclusão não implica o endosso, nem implica que eles são a única, nem necessariamente os melhores.

 

Agradecimentos

O Centro de Desenvolvimento da Criança  deseja dar profundos agradecimentos à Jocelyn Bowne para elaboração este manuscrito. Agradecemos também à Maia Barrow, Silvia Bunge, Deborah Leong, e Philip Zelazo para os seus comentários pensativos e sugestões. Sua experiência foi valiosa na compilação destes jogos e atividades.  Quaisquer erros ou omissões são da exclusiva responsabilidade do

Center on the Developing Child.

 


Temos 21 visitantes e Nenhum membro online